voltar

ARTIGO - EFEITOS DA ACUPUNTURA NA SÍNDROME DO PIRIFORME

 

ALINE ALEXANDRE PEREIRA

LORENA GUIMARÃES NASCIMENTO

VERÔNICA GOMES DE OLIVEIRA

 

EFEITOS DA ACUPUNTURA NA SÍNDROME DO PIRIFORME

Estudo de caso

 

Trabalho de conclusão de curso apresentado como requisito para obtenção do título de Especialista Lato sensu em Acupuntura pela Faculdade Vicentina.          

Orientador: M.S Sérgio Soares.

 

RESUMO

O presente estudo visa o tratamento da Síndrome do Piriforme através da Acupuntura. Em virtude deste quadro podemos intervir significativamente com as técnicas de acupuntura e suas vertentes para melhora álgica e equilíbrio energético do organismo. Foi realizada uma pesquisa exploratória do tipo estudo de caso para demonstrar a eficácia da Acupuntura na Síndrome do Piriforme. Foram realizadas 15 sessões de acupuntura com agulhamento nos pontos alternados (ID3 – VC12 – VB34 – BP6 – R3 – MCP3 – VB30 – B23 – B36 – B40 – B54 – B60 – B62), no qual obtivemos resultado significativo da melhora do quadro álgico gerado pela Síndrome do Piriforme e proporcionando o retorno das atividades diárias da paciente.

PALAVRAS- CHAVE: Síndrome, Piriforme e Acupuntura.

 

ABSTRACT

 

This study aims to treat Piriformis Syndrome by Acupuncture. Under this study we can significantly interfere with the techniques of acupuncture and its variations to algic improvements and an energy balance of the body. An exploratory case study type was performed to demonstrate the effectiveness of acupuncture on Piriformis Syndrome. Fifteen sessions of acupuncture needling was performed in alternating points (ID3 - VC12 - VB34 - BP6 - R3 - MCP3 - VB30 - B23 - B36 - B40 - B54 - B60 - B62), in which we obtained a significant result of the improvement of pain generated by Piriformis Syndrome and providing the return of the daily activities of the patient.

KEYWORDS: Syndrome, Piriformis and Acupuntura.

 

1.   Introdução

 

A Acupuntura na síndrome do piriforme visa através de suas técnicas e procedimentos a estimulação de pontos reflexos que tenham a propriedade de restabelecer o equilíbrio alcançando- se assim resultados terapêuticos; a Acupuntura age sobre o sistema nervoso autônomo e sistema endócrino e seu efeito pode ser imunoestimulante, imunossupressivo, analgésico e anti-inflamatório. (¹)

Na Medicina Tradicional Chinesa uma disfunção e atrofia dos tecidos corpóreos é tida como uma desarmonia energética advinda de vários fatores sendo interno ou externo; assim as desordens dos músculos e pele podem aparecer repentinamente e causa ao paciente a perda de grande parte do controle muscular devido ao quadro álgico agudo. (²)

Desta forma a Acupuntura visa trazer o alívio da dor na Síndrome do Piriforme e em um segundo momento tratar a origem do acometimento, evitando recidivas, já que a presente técnica visualiza o padrão patológico com maior profundidade sinérgica. ³

Em razão do aumento da demanda de terapias alternativas, torna-se necessário a comprovação da eficácia da Acupuntura, sendo de grande importância a demonstração de sua cientificidade e da aceitação da utilidade dessa prática.

Foi realizada uma pesquisa exploratória do tipo estudo de caso para demonstrar a importância da Acupuntura e suas vertentes na Síndrome do Piriforme.

Os objetivos gerais deste estudo visam descrever a anatomia do assoalho pélvico, assim como os músculos adjacentes sucintamente e o Músculo Piriforme, a explanação da Medicina Tradicional Chinesa, dando prioridade a Acupuntura como método de tratamento.

Os objetivos específicos são definir os sintomas que a Síndrome do Piriforme acarreta, descrevendo as técnicas de Acupuntura utilizada, os pontos propostos para o tratamento.

Apresentar os benefícios da Acupuntura no Tratamento da Síndrome do Piriforme vem para propiciar o restabelecimento das funções musculares e proporcionando um alívio dos sintomas nesta Síndrome.

 

1- Revisão de Literatura

 

2.1.Síndrome do Piriforme segundo a Medicina Ocidental

 

Segundo a medicina ocidental os músculos da região glútea se dividem em glúteo máximo, glúteo médio e glúteo mínino, que são os principais extensores e adutores da coxa. Os mais profundos: piriforme, obturador interno, gêmeos e o quadrado femoral são os rotadores laterais da coxa e estabilizadores da articulação do quadril. 

A inervação desta região é suprida pelos nervos glúteos superior, inferior, pudendo e o isquiático. E nutrida pelas artérias glútea superior, inferior e pudenda interna. E drenada pelas veias glúteas superior, inferior e pudendas internas. A linfa proveniente segue os vasos até os linfonodos glúteos, ilíacos e aórticos laterais. 

Esta síndrome quando causada pela contração prolongada e vigorosa do músculo piriforme, gera fadiga levando a diminuição do fluxo sanguíneo muscular, faltando suprimento nutritivo e oxigênio. 

A dor isquiática, comumente denominada ciatalgia, também encontrada como radiculopatia, síndrome radicular lombosacra, dor radicular e compressão ou irradiação da raiz nervosa, origina-se da compressão do nervo isquiático e trata-se de um sintoma referido pelo trajeto deste nervo e seus ramos, distribuindo-se pelos respectivos dermátomos e miótomos. 

Não há consenso acerca de uma causa comum que determine o aparecimento desta patologia. Qualquer trauma pode desencadear esta síndrome, o trauma pode gerar inflamação, edema e espasmo do músculo piriforme. As inflamações crônicas frequentes estão relacionadas a algumas variações anatômicas do músculo piriforme ou do nervo isquiático. As alterações posturais ou biomecânicas também podem gerar compressão do mesmo. E em praticantes de atividades que requerem o uso excessivo dos músculos glúteos podem desenvolver tal acometimento. 

 

2.2.Embasamento Clínico segundo a Medicina Oriental

 

De acordo com a Medicina Oriental, base preponderante do nosso estudo, existe vários tipos de dor que podem contribuir para classificar um padrão patológico, no geral, a dor é a interrupção de processos biológicos de Qi e Xue, respectivamente energia e sangue que são fundamentais para a harmonização do organismo, sinalizando assim uma disfunção. 

A dor pode ser classificada em qualitativa, como fator patogênicoquantitativa (deficiência ou excesso), as categorias semiológicas para se diagnosticar a dor pelos padrões Chineses incluem a análise física (pulsologia, língua, sensorial, topográfico, fatores de agravação e melhora, fisiopatologia propriamente dita, entre outros).

Existem alguns fatores precursores da dor, tais como:

*Estagnação de Qi: causa sensação de distensão que varia de acordo com a localização e intensidade em questão.

*Estagnação de sangue: sensação de tumefação dolorosa, dor aguda, pontada, cortante e localização definida; mas o fluxo de Qi e sangue podem estar inibidos por deficiência de cada uma das duas substancias nesse caso a dor não é intensa como a dor de excesso e sim continuada e duradora. Dor que piora no repouso e melhora no exercício leve é considerada deficiência de Qi e sangue.

*Deficiência de Qi: dor piora no final do dia ou depois de atividade intensa, isso ocorre porque a atividade consumiu Qi que estava circulante, este tipo de deficiência causa piora da dor ànoite. (³)

Na Medicina Tradicional Chinesa (MTC) o aparecimento de dores no trajeto do nervo ciático deve-se à presença dessas energias perversas, do tipo Vento-frio e Umidade-calor nos canais de energia principais da bexiga e da vesícula biliar e nos canais de energia tendinomuscular que circulam na parte posterior do membro inferior.A Síndrome do Piriforme pode ser caracterizada com um tipo de Síndrome Bi, por Invasão de Vento Perverso (Pi Migratório).

A Síndrome Bi é caracterizada pela obstrução da circulação de Qi, Sangue e energias perversas nos Canais de energia principais, tendinomusculares e Secundários, acometendo as articulações dos membros superiores e inferiores e a coluna vertebral. 

As manifestações clínicas da síndrome (BI) dependem do tipo de energia perversa que provoca o bloqueio e a estagnação na circulação do Qi e Sangue. São elas:

*Vento Perverso (Pi Migratório)- caracteriza-se por apresentar artralgias migratórias de características Yang,que apresentam irradiações dolorosas seguindo o trajeto dos Canais de Energia acometidos. A Síndrome Pi migratória é acompanhada em sua maioria de sensação de adormecimento dos membros superiores e inferiores.

*Frio Perverso (Pi Doloroso)- manifesta-se por dores agudas localizadas nos músculos e nas articulações.Estas dores são acompanhadas de sensação de frio no corpo e nas regiões afetadas,dores estas que melhoram com o Calor interno ou externo e com a pressão.As dores são agravadas pelo Frio e pela Umidade.

*Umidade Perversa (Pi fixo)- caracterizam-se por se localizarem nas articulações do corpo,com a sensação de estarem inflamadas,doloridas e pesadas.Apresentam pouco aumento de volume das articulações,e estas ficam mornas.As dores articulares são exacerbadas pela mudanças do tempo: vento,chuva e frio.

*Umidade-Calor (Pi Calor)– As dores do tipo Pi Calor manifestam-se por  artralgias inflamatórias que se localizam nos quatro membros,acompanhadas de mialgias e de fraqueza muscular,inflamação de garganta,febre com transpiração do tipo Umidade.(³)

A Síndrome do Piriforme pode ter como origem patológica uma desarmonia do Baço/Pâncreas (Pi), já que este Zang Fu regula a parte carnosa dos músculos e membros, sendo assim se estes estiverem  com boa provisão de energia (Qi) e de sangue (Xue) estas serão transportadas adequadamente para as partes dos músculos que se tornam nutridos, energizados, quentes e firmes (membros superiores e inferiores), aptos para os movimentos; se ocorrer uma deficiência e inadequação na função de transporte de energia e sangue (Qi e Xue), os  músculos não receberão adequadamente a nutrição, perdendo a tonicidade e se tornando fracos, finos e até mesmo atrofiadas, assim os membros enfraquecem e se tornam frios e o corpo letárgico, vale lembrar que a dietética equilibrada contribui para sua harmonia.

O Baço/pâncreasjuntamente com o Fígado tem uma importante relação com o tecido muscular. Assim como o Rim e o Fígado no sistema a neuromuscular. Uma insuficiência de Baço/pâncreas pode gerar lassidão e atrofia muscular.

 

2.2.1.Bases Anatômicas e Fisiológicas da Acupuntura

            O ponto de acupuntura ou acuponto é caracterizado como um ponto da pele de sensibilidade espontânea ao estímulo e à resistência elétrica reduzida. Possui um diâmetro de 0,1 a 5 cm, entretanto é uma área de condutividade elétrica amplamente aumentada comparada às áreas da pele ao redor. Estes estão localizados próximos a articulações e bainhas tendíneas, vasos, nervos e septos intramusculares, na ligação músculo-tendínea, nos locais de maior diâmetro do músculo e nas regiões de penetração dos feixes nervosos da pele.     Quando um ponto de acupuntura é puncionado, ocorre sensação de parestesia elétrica ou calor. Essa sensação é denominada comodeQi. (10)

A acupuntura atua sobre o controle da dor por ativação de vias opióides e não opióides. De acordo com SANTOS & MARTELETE (2004), a estimulação promovida pela Acupuntura ativa o sistema modulador da dor por hiperestimulação das terminações nervosas de fibras mielínicas A-δ, responsáveis pela condução do estímulo aos centros medulares, encefálicos e eixo hipotálamo-hipofisário. Na medula espinhal, a modulação dos estímulos nociceptivos se dá por inibição pré-sináptica, devido à liberação de encefalinas e dinorfinas. No mesencéfalo, as encefalinas e a ativação do sistema central de modulação da dor resultam na liberação de serotonina e norepinefrina nos sistemas descendentes. A analgesia promovida pela acupuntura também está relacionada com vias opioides, promovidas ao estimularem pontos periféricos do corpo”.

 

  1. Metodologia

 

3.1.Descrição do Estudo de caso

 

Foi realizada uma pesquisa exploratória, do tipo estudo de caso, tendo como amostra uma paciente portadora de Síndrome do Piriforme.

As sessões de Acupuntura foram realizadas no domicílio da mesma, no período de Abril a Junho de 2014, totalizando 15 sessões.O tratamento foi realizado pelo mesmo profissional em todas as intervenções.

Iniciou-se com a avaliação através da Pulsologia e observação da Língua do paciente. Em seguida foi realizada a Acupuntura: as agulhas foram aplicadasnos pontos selecionados, e estimulada pelo terapeuta de acordo com a necessidade de cada ponto.

Os pontos foram agulhados alternadamente de acordo com a necessidade energética do Zang Fu.

3.2.Materiais e Métodos

 

3.2.1.Agulhas

Um dos principais instrumentos da acupuntura são as agulhas sistêmicas, definidas pelo Ministério da Saúde, como instrumento filiforme perfurante, de ponta divulsionante, destinadas à penetração em pele, tecido subcutâneo e músculos. 

A agulha de acupuntura é composta de um cabo, um corpo e uma ponta. O cabo geralmente é feito de cobre ou de alumínio, enquanto o corpo, preferencialmente, deve ser feito de material diferente, por exemplo, aço inoxidável, a fim de induzir a formação de diferença de potencial elétrico entre o cabo e aponta da agulha, determinando acúmulo de cargas elétricas na ponta da agulha. (³)

Existem vários tipos de agulhas de acupuntura, os principais tipos são:

  • Agulha de acupuntura capilar cilíndrica de 0,10 a 0,50 mm de calibre e de 1,5 a 10 cm de comprimento.
  • Agulha de acupuntura triangular, com ponta trifacetada, com a finalidade de provocar pequena sangria.
  • Agulha de acupuntura de retenção. É curta, em forma de caracol, usada em auriculoterapia, com objetivo de permanecer in situ por vários dias.

O ângulo de penetração da agulha de acupuntura e os estímulos que nela são feitos interferem na circulação de Qi, podendo intensificá-la, reduzi-la ou alterar a polaridade dos Canais de Energia, tornando-os mais ou menos ativos. 

 

3.3.Contato Inicial e Estudo Principal

 

A paciente Ecila Alves de Araújo, residente na Rua Almirante Wandenkolk, número 82 Parque Tamandaré, professora aposentada, divorciada, natural de Campos dos Goytacazes- Rio de Janeiro, nascida em trinta e um de Maio de mil novecentos e quarenta e seis.

Paciente relata quadro álgico na região glútea, aproximadamente há três anos, após um movimento brusco com a perna esquerda ao descer as escadas de sua casa, após o ocorrido, sempre que realiza movimentos bruscos sente dor em pontada impossibilitando deambulação por alguns minutos.

Paciente relata ter feito Fisioterapia convencional (traumato-ortopédica) sem obtenção de melhora significativa; tomou fórmula Homeopática a base de analgésico, anti-inflamatório e condroprotetores que obtiveram baixo suporte analgésico.

Na História Patológica Pregressa relata ter nódulos na tireóide, sem indicação cirúrgica; astigmatismo, miopia e cerotocone; Síndrome do túnel do carpo bilateral; Herpes Zoster; e realizou aproximadamente há seis anos Colecistectomia Videolaparoscópica.

No Histórico Familiar relata ter mãe renal crônica, diabética e hipertensa; pai renal; irmãos com câncer (linfonódulos), osteonecrose femoral, hipertensão e acidente vascular encefálico.

Relata também prostração; ansiedade; insônia inicial; zumbido constante nos dois ouvidos; cefaléia na área temporal e frontal, sede diminuída, apetite exacerbado, preferência por doces e alimentos quentes e úmidos,digestão lenta e com distensão abdominal associada a borborigmos, evacuação diarréica á pastosa de coloração marrom escura e que afundam; micção diminuída e escura com incontinência; pelenormocorada e com manchas senis leves, micose no polegar.

Na avaliação osteomuscular apresenta hipotonia, cifoescoliose com osteófitos marginais, limitações articulares com rigidez matinal, ruptura do menisco parcial de joelho direito, parestesia em mão direita, pés frios, dores musculares que pioram no frio e em repouso.

Na avaliação da língua apresenta: coloração vermelha em região de vesícula biliar e fígado, com saburra fina e branca, trêmula, amarela em região do rim e bexiga, comrachadura em toda extensão de estômago e baço, veias da base dilatadas e escuras.

Na avaliação o pulso direito apresenta-se profundo e forte nas 1 ª e 2ª posições e fino e profundo na 3 ª posição. O pulso esquerdo apresenta-se forte e cheio na 2ª posição e profundo nas 1 ª e 3 ª posições.

O diagnóstico encontrado de acordo com a Medicina Tradicional Chinesa é de Estagnação do Qi do baço por Deficiência do Yin do Rim.

A proposta terapêutica é a Acupuntura realizada nos seguintes pontos selecionados: M.CP-3 (Yin Tang); ID3; VC12; VB34; VB30 (com agulha sete Tsun); B/P6; R3; B62; B60; pontos Ashi; B23 bilateral, B54, B36 e B40.

 

3.4.Descrição dos Pontos de Acupuntura selecionados

 

  1. ID3 (Houxi)

Localiza-se na margem medial da mão, em uma depressão proximal à articulação metacarpofalângica, na extremidade medial (ulnar) do sulco palmar distal, quando se fecha a mão e onde ocorre a mudança de cor de pele entre a região palmar e do dorso. 

Suas funções Energéticas são: Harmoniza a circulação do Qi dos Canais de Energia Principais e dos Luo; dispersa o Calor do Xin; tranquiliza o Shen; libera a energia perversa do interior para o exterior; harmoniza o Qi do Du Mai; dispersa o Qi estagnado dos Canais Tendinomusculares. 

É indicado para dor lombar aguda, lombociatalgia, ponto distal para a coluna cervical; torcicolo. 

A profundidade da inserção da agulha é de 0,5 a 1 cun na direção da palma.

  1. VC12 (Zhongwan)

Localiza-se no abdome, na linha mediana anterior, entre a extremidade doprocesso xifoide do osso esterno e a cicatriz umbilical. 

Suas funções Energéticas são: Harmoniza, fortalece e tonifica o PiQi (Baço/Pâncreas); harmoniza o Qi do Wei (Estômago) e do Zhongjao (Aquecedor Médio); tonifica o YongQi (nutrição); redireciona o Qi em tumulto contracorrente; harmoniza o Qi e o Xue; dispersa a Umidade,a Umidade-Calor e a mucosidade.

É indicado em transtornos do trato gastrintestinal; gastrite, insônia. 

A profundidade da inserção da agulha é de 1 a 1,5 cun,perpendicularmente.

  1. VB34 (Yanglingquan)

Localiza-se no terço superior da face lateral da perna, em uma reentrância muscular, localizada distalmente, e à frente da cabeça da fíbula. 

Suas funções Energéticas são: Promove a circulação GanQi (Fígado) e do Dan (Vesícula Biliar); ativa a circulação do Xue nos Canais de Energia; regulariza a mobilidade das articulações; relaxa e fortalece os tendões e os músculos; fortalece os ossos; dispersa o Calor (Yang excessivo) do Gan e do Dan; dispersa o Vento e a Umidade-Calor das articulações do membro inferior. 

É indicado nos casos de mialgia, gonalgia, dor e parestesia dos membros inferiores, cefaléia, hipertensão. 

A profundidade da inserção da agulha é de 1 a 2 cun, obliquamente em direção à membrana interóssea entre a tíbia e a fíbula. 

  1. BP6(Sanyinjiao)

Localiza-se a três tsun proximais à parte mais saliente do maléolo medial, junto à margem medial da tíbia. 

Suas funções Energéticas são: Harmoniza, fortalece e tonifica o PiQi (Baço/Pâncreas); tonifica o ShenQi (Rins) e a essência; harmoniza o GanQi;fortalece o Qi dos três Yin do Pé;harmoniza  a circulação de Qi e de Xue; harmoniza o Qi do Wei (Estômago) e dos Aquecedores Médio e Inferior;tonifica o Qi e o Xue;dissolve a Umidade e a Umidade-calor,drena a Umidade e a Umidade-frio.

É indicado para tonificação geral (moxa); utilizado para transtornos ginecológicos, gastrintestinais; efetivo nas doenças alérgicas e imunológicas. 

A profundidade da inserção da agulha é de 1 a 2 cun, perpendicularmente.

  1. R3 (Taixi)

Localiza-se a meia distancia entre a parte mais saliente do maléolo medial e o tendão do calcâneo, no local onde se percebe o batimento da artéria tibial posterior. 

Suas funções Energéticas são: Tonifica o ShenQi (Rins); nutre o Qi, o Xue e a Essência; restaura o colapso do Yin Qi; aquece o Frio. 

É indicado para fortalecimento da função renal e da circulação; impotência; enurese; dismenorréia; transtornos do trato urogenital; dor no tendão do calcâneo; afecções da articulação do joelho. 

A profundidade da inserção da agulha é de 0,5 a 1 cun, perpendicularmente. 

  1. M-CP-3 (Yintang)

Localiza-se na linha mediana anterior da face, na correspondência de uma linha horizontal, unindo as extremidades mediais das sobrancelhas. 

Suas funções Energéticas são: elimina as Energias perversas Vento e Calor; acalma o Shen e clareia a mente; Ponto Jing do Fei (Pulmão). 

É indicado para cefaléia, sobretudo frontal e tensional; sinusite; insônia. 

A profundidade da inserção da agulha é de aproximadamente 1cun,subcutaneamente,em direção caudal para a raiz do nariz.

  1. VB30 – (Huantiao)

Localiza-se na face posterior do quadril, na união do terço intermédio com o lateral, na linha traçada que passa pelo trocanter maior do fêmur e a articulação sacrococcígea. 

A profundidade da inserção da agulha é de 1,5 a 3 cun, perpendicularmente. 

É indicado para lombalgia, lombociatalgia, importante ponto do ciático, sintomas semelhantes aos da nevralgia e paralisia dos membros inferiores, dor em coxa. 

Suas funções Energéticas são: remover obstruções do meridiano; expele Vento, o Frio e Umidade do meridiano, fortalece a região lombar e os quadris.

  1. B23 – (Shenshu)

Localiza-se na a um e meio tsun laterais à linha mediana posterior, na horizontal traçada abaixo do processo espinhoso da 2ª vértebra lombar. 

A profundidade da inserção da agulha é de 25 a 40 mm, inserção perpendicular, ligeiramente direcionada para a medula espinal. 

É indicado para fortalecer a função renal e circulação, ponto utilizado para tratar doenças crônicas: Fraquezas e exaustão, lombalgias, asma, transtorno do trato urogenital, alergias, queixas reumáticas. 

Suas funções Energéticas são: tonificar o Rim nutre a Essência, nutre o Sangue, beneficia os ossos e a medula, fortalece a audição e visão, estimula a função do Rim e de receber o Qi, remove a Umidade. 

  1. B36 – (Chengfu)

Localiza-se no meio da prega glútea.

A profundidade da inserção da agulha é de 0,5 a 1,5 cun, perpendicularmente. 

É indicado para lombociatalgia. 

Suas funções Energéticas são: remover a estagnação. 

  1. B40 – (Weizhong)

Localiza-se no meio da fossa poplítea. Este ponto está situado próximo ao nervo tibial e a artéria poplítea. 

A profundidade da inserção da agulha é de 0,5 a 1 cun, perpendicularmente. 

È indicado para tratamento de lombalgia, gonalgia, paresia dos membros inferiores, importante ponto distal para a região da coluna lombar inferior, transtornos cutâneos, doenças renais e vísceras, eczema, herpes zortes, psoríases. 

Suas funções Energéticas são: remover a obstrução do meridiano e dos colaterais, relaxa os tendões e remove a Umidade e Frio, fortalece a porção inferior do dorso e joelho elimina Calor remove a Umidade Calor, esfria o Sangue, elimina estase do Sangue. 

  1. B54 – (Zhibian)

Localiza-se na a três tsun laterais à linha mediana posterior, na horizontal traçada abaixo da 4ª vértebra sacral.

A profundidade da inserção da agulha é de 1 a 2 cun, perpendicularmente.

É indicado para transtorno da coluna lombar, ponto distal importante. 

Suas funções Energéticas são: remover a obstrução dos meridianos e dos colaterais, relaxa os tendões, remove a Umidade e o Frio. 

  1. B60 – (Kunlun)

Localiza-se a meia distância entre o maléolo lateral e o tendão do calcâneo.

A profundidade da inserção da agulha é de 0,5 a 1 cun, perpendicularmente.

É indicado para tratar a síndrome da dor da coluna vertebral, um dos principais pontos para a dor periférica, em especial nos membros inferiores, dor no tendão de Aquiles, cefaléia, afecções na região da articulação do joelho, dismenorréia com sangue menstrual escuro e com coágulos.

Suas funções Energéticas são:revigorar a função do Rim e a circulação; fortalece o dorso e o joelho, relaxa os músculos e os tendões, remove obstrução do meridiano e dos colaterais, elimina Calor, distribui o Sangue e remove a estase do Útero, elimina fatores do eixo Tai Yang, expele o Vento interior e exterior.

  1. B62 – (Shenmai)

Localiza-se a meio tsun distal ao maléolo lateral, em uma reentrância óssea do calcâneo.

A profundidade da inserção da agulha é de 3 a 5 mm, perpendicularmente.

É indicado para cefaléia tensional, distúrbio neurovegetativo, nevralgia fibular e paresia, disfunção articular da porção inferior do tornozelo.                Suas funções Energéticas são:remover a obstrução do meridiano e dos colaterais, relaxa os tendões e os músculos, clareia e acalma a mente, expele fatores patogênicos externos e abre o Yang Qiau Mai. 

 

  1. ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

 

O processo de análise e discussão dos resultados foi feitos a partir de avaliações feitas com a paciente a cada sessão de Acupuntura, onde foi realizado o teste da Escala numérica da Dor após o término da sessão.

 

  1. CONCLUSÃO

 

Neste estudo de caso foi abordada a visão da Medicina Tradicional Chinesa para a Síndrome do Piriforme. O aprofundamento teórico da Síndrome em questão foi de suma importânciapara a escolha dos pontos de Acupuntura e evolução do caso clínico em questão.

As sessões de Acupuntura foram realizadas entre os meses de Abril a Junho de 2014,  totalizando 15 atendimentos.

Ao longo dos atendimentos foram agulhados os pontos (ID3 – VC12 – VB34 – BP6 – R3 – MCP3 – VB30 – B23 – B36 – B40 – B54 – B60 – B62) alternadamente. Obtendo-segradativamente melhora no quadro álgico da paciente.

AAcupuntura conseguiu promover o relaxamento da musculatura adjacente da região lombar e glútea, em destaque o músculo piriforme; propiciando o reequilíbrio energético dos Zang Fu da paciente, eliminando as energias perversas nos canais de Energiada Bexiga e da Vesícula Biliar e nos canais energéticostendinomuscular da parte posterior do membro inferior. A paciente obteve melhora de sua deambulação e retorno as suas atividades diárias.

Em função dos resultados obtidos neste estudo de caso, pode-se afirmar que a Acupuntura foi eficiente e eficaz no tratamento da Síndrome do Piriforme.Podendo-se concluir que também poder-se-á utilizar a Acupuntura de forma eficaz e segura em outros pacientes com a mesma Síndrome.

 

ANEXOS

 

ESCALA NUMÉRICA DA DOR

Marque na tabela abaixo a nota que você daria para sua DOR atual.

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

 

0=Nenhuma Dor

10= Máxima Dor possível

 

Referência: Hospital Israelita Albert Einstein. Gerenciamento da dor na SBIBHAE. 2010.

 

TERMO DE AUTORIZAÇÃO DE USO DE IMAGEM E DEPOIMENTOS

 

Eu Ecila Alves de Araújo, depois de conhecer e entender os objetivos da pesquisa, bem como de estar ciente da necessidade do uso da minha imagem/e ou depoimento , especificados no Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), AUTORIZO, através do presente termo, os pesquisadores Aline Alexandre Pereira, Lorena Guimarães Nascimento e Verônica Gomes de Oliveira,tendo como orientador Sérgio Soares, do projeto de pesquisa intitulado Efeitos da Acupuntura na Síndrome do Piriforme, a realizar as fotos que se façam necessárias e/ou a colher meu depoimento sem quaisquer ônus financeiro a nenhuma das partes.

Ao mesmo tempo,libero a utilização destas fotos (seus respectivos negativos) e/ou depoimentos para fins científicos e de estudos  (livros,artigos,slides e monografia) ,em favor dos pesquisadores da pesquisa, acima especificados, obedecendo ao que está  previsto nas leis que resguardam os direitos das crianças e adolescentes –(ECA, Lei Número 8.069/1990), dos idosos ( Estatuto do Idoso, Lei Número 10.741/2003) e das pessoas com deficiência ( Decreto Número 3.298/1999, alterado pelo Decreto Número 5.296/2004).

Campos dos Goytacazes, 

Parceiros


Instituto Flor de Lótus - Centro de Estudo em Saúde
Alameda Barão de Nova Friburgo, 255
Olaria, Nova Friburgo/RJ. CEP: 28623-060
WhatsApp: (22) 99856-4897
(22) 2523-8863 / (22) 2521-0673 - contato@institutoflordelotus.com.br